CONCLAMAÇÃO AO NACIONALISMO

Por : Valmir Fonseca Azevedo Pereira 

 

A hierarquia e a disciplina são os pilares das Instituições Militares. Os parâmetros são inquestionáveis e baseiam - se no respeito aos superiores e na obediência às suas ordens. Portanto, os militares se submetem às normas da caserna no principio de que o superior hierárquico por seu nível de conhecimento e conduta ilibada está apto a comandá - los. Contudo, eventualmente, o superior pode não reunir as qualificações para o exercício de seu cargo. Felizmente, de alguma forma, por transferência do militar ou do seu superior, ou passagem para a Reserva, de um ou de outro, a incômoda situação é ultrapassada.

 

Na prática, é o que ocorre ou pode ocorrer.

Hoje, o silencio da Ativa quanto ao massacre revanchista que deturpa as Forças Amadas traduz a posição submissa de seus atuais comandantes.

Os militares da Ativa, cumpridores dos princípios da hierarquia e da disciplina, cônscios de sua subordinação, também se calam, e, hoje, nem mais podem orientar os seus subordinados quanto a relevantes episódios de nossa História, como a traiçoeira e covarde Intentona Comunista de novembro de 1935 e o memorável e glorioso Movimento Cívico - Militar de 31 de março de 1964...                

A grande maioria emudece para não transgredir, alguns, lamentavelmente, por receio em prejudicar as suas futuras promoções.

Mas em geral, silenciam por convicção de que assim cumprem a sua obrigação de militares disciplinados.

Porém, diariamente, por término do tempo de serviço ou por outras razões, um número razoável afasta - se da sua Instituição e tornam - se militares da Reserva.

Considera - se que um elevado número daqueles antes silenciosos, agora sem os compromissos do serviço ativo, gostaria de assumir uma postura no mínimo pró - ativa.

Por isso, dirigimo - nos aos insatisfeitos, encarecendo para que ao passarem para a Reserva juntem - se a nós, membros do Ternuma ou ao Grupo Guararapes, ou ao Grupo Inconfidência.

Venham, todos foram dinâmicos profissionais, que durante longos anos se dedicaram aos serviços da Pátria, ao passarem para a Reserva a missão continua, em especial no atual contexto, em que os inimigos da democracia assumiram o poder e pretendem se perpetuar .

Aos novos integrantes da Reserva, concitamos que sejam membros de ONGs que lutam para evitar um mal irreversível para o futuro da Nação e para a sua manipulada população.

Venham e lutem pela democracia e repudiem o aniquilamento da Forças Armadas.

A estes futuros participantes, recordamos que nós da Reserva ao contrario dos militares da Ativa, podemos e devemos externar as nossas opiniões, que podem ser de apoio, mas que podem ser de repúdio.

Hoje vivemos sob a égide de uma canalha que se preserva e perpetua no poder.

Cabe a nós militares da Reserva com os civis nacionalistas, todos cidadãos cumpridores de seus deveres, exigir os nossos direitos, denunciar, e de adotar uma postura unida reativa contra o descalabro, antes que a nossa Nação atinja o fundo do poço.

Amigos, venham!

Vejam o nosso site www.ternuma.com.br, militares recém ingressos na Reserva e os civis que amam esta terra, e juntem - se a nós, não continuem vivendo em brancas nuvens; nem você, nem a sua família, nem a sua Pátria merecem.

Brasília, DF, 14 de fevereiro de 2014

Gen. Bda Rfm Valmir Fonseca Azevedo Pereira

Presidente do Ternuma