AÉCIO NEVES : “UM TUCANO QUE CAIU DO GALHO...”

Por : Pettersen Filho

O Solar dos Neves, como é conhecida a Velha Casa, ainda dos tempos do Império, na histórica São João Del Rey, às margens do Rio da Boa Morte, em Minas Gerais, de construções bucólicas, e barrocas, do seu antigo prestígio, seguramente, deve ter amanhecido mais triste hoje...

É que votação esquálida, ao menos, questionável, que ultrapassa em muito os seus poderes, realizada no STF – Suprema Corte do Brazil, ao mesmo tempo em que a portentosa Empresa Mineira Cemig, era arrebatada do Estado, no seu mais legitimo Manancial, suas Barragens geradoras de energia limpa, por decisão desse mesmo Judiciário, cujo opositor maior a Privatização, depois que Itamar Franco, anos atrás, mobilizou Tropas da PM para impedir o mesmo Ato de FHC

( Leia: http://www.abdic.org.br/index.php/1831-o-leilao-das-barragens-da-cemig-dai-a-cesar-o-que-e-de-cesar-e-dai-a-cesar-o-que-e-de-deus ), determinou a “suspensão” do Mandato de Senador de Aécio, envolto em consistentes denúncias de Corrupção, de haver extorquido cerca de 2 milhões de reais do Grupo JBS, em causa própria, enquanto realizava Lobby no Congresso, contra a Privatização.

Justiça brasileira que se envereda por caminhos tortos, onde não está, assistindo-lhe, ou não, razão, invadir, assim, um Poder, o Judiciário, Decisão que somente cabe a outro Poder, o Legislativo, Cassar, ou não, um de seus Membros, ameaça expor as flagras o próprio Judiciário reeditando rebeldia, por que não dizer, desobediência, semelhante a recente, em que a Mesa do Senado preferiu não acatar Decisão semelhante contra Renan Calheiros, deixando de calças nas mãos a Corte, dito pelo não dito.

Que tem “cabelo nessa sopa”, dito popular, ninguém nega, afinal, o Ex Governador por dois mandatos consecutivos, Aécio Neves, tem, como tantos outros, e o próprio Lula, culpa no Cartório, mas isso, somente o Processo findo o dirá, mas, aparenta-nos casuísmo a tosca interpretação daquela Casa, em momento tão crucial da República, corada pelos cerca de 12 Bilhões advindos da Barragem, cujos dividendos Políticos, e Econômicos, no mínimo, cabem ao STF, pelo fato de interpretar Medida Acautelatória Diversa, prevista no Código de Processo Penal, de forma antagônica, e Diversa, da Constituição da República.

Longe de estar aqui defendendo o Senador Aécio, herdeiro político, apenas por acaso, das Velhas Tradições do Solar, cujo prestígio lhe caiu no colo, com a morte do Avô Tancredo Neves, pego ainda de sunga, em Copacabana, no Rio, onde sempre costumava frequentar ao lado de Criaturas Globais, como Luciano Huck, e outros playboys, contudo, o errado não pode tomar o lugar do certo.

Felizes, os Mineiros, ainda entorpecidos pela nebulosa vitória, que lhes assegurou a sorte, do Cruzeiro, contra o Flamengo, no Circo do Mineirão, enquanto a “Carruagem passa”, somente se darão conta, do quanto foram roubados, quando a próxima conta de luz chegar...

Quanto ao PSDB, agrupamento político advindo, ainda quando da redemocratização do País, de ala mais moderada do PMDB Paulista, de Mario Coavas, José Serra e o próprio FHC, o mais Paulista dos Partidos Políticos Nacionais, de quem Aécio foi sempre um “Estranho no Ninho”, a questionar o Monopólio paulista, esse, agora sim, será um “partidozinho” cada vez mais Pão com Mortadela, sem expressão ou representatividade nacional alguma...

 

Antuérpio Pettersen Filho, membro da IWA – International Writers and Artists Association, é advogado militante e assessor jurídico da ABDIC – Associação Brasileira de Defesa do Individuo e da Cidadania, que ora escreve na qualidade de editor do periódico eletrônico “Jornal Grito do Cidadã”, sendo a atual crônica sua mera opinião pessoal, não significando necessariamente a posição da Associação, nem do assessor jurídico da ABDIC.