O BRASIL E O PEDIDO DA ONU

Por :      Profa. Guilhermina Coimbra

O site Tecnologia & Defesa informa que a Organização das Nações Unidas –ONU - oficializou o pedido de tropas brasileiras para a República Centro-Africana.

As necessidades materiais são bastante diferentes daquelas exigidas no Haiti: veículos blindados leves, tipo Lince (Ital) ou Humvee (EUA), a serem adquiridos de segunda mão desses países, óculos de visão noturna, miras laser, blindagem reforçada nos Guaranis, torres de tiro com controle remoto, equipamento de rádio com maior potência, etc. etc.

 

Ou seja, tudo aquilo que o Brasil não dispõe usualmente nas Organizações Militares, salvo algumas exceções – e que, por força dos compromissos a serem assumidos – serão os contribuintes de direito e de fato do Brasil aqueles que terão que pagar.

O Comandante da referida Operação será um Brigadeiro-General português.

Decodificando, acresce o fato notório de que o objetivo da Operação, de acordo com os maus hábitos e os maus costumes de fora do Brasil são exatamente os seguintes:

- desgastar a imagem do Brasil;

- colocar o Brasil como alvo de ataques terroristas.

Serão, no mínimo, 750 soldados - um Batalhão - que deverão estar prontos para deslocamento até o primeiro semestre de 2018.

Custo anual estimado: US$ 100 milhões.

Vale dizer:

- os contribuintes brasileiros terão desviados US$ 100 milhões de dólares destinados à Saúde, à Educação e Infra-estrutura – para patrocinar a insana idéia de enviar tropas brasileiras, em atendimento ao pedido da Organização das Nações Unidas.

Decodificando: o Governo do Brasil estará assumindo, em nome dos contribuintes brasileiros - para serem cumpridos pelos residentes no Brasil - compromissos brutalmente gravosos e onerosos.

Cabe a pergunta:

- onde estava o representante do Brasil na ONU, que não abortou, no ato, a solicitação da ONU, explicando que, no momento o Brasil não teria condições de atender ao pedido da Organização?

Estranho, não?.

O Brasil - sócio comercial inigualável país de inumeráveis oportunidades de ganhos, população amiga e bem humorada – merece respeito.

*Currículo Lattes; Pesquisadora CNPq, CAPES, FGV-Rio.