“OPINIÃO DO LEITOR” TRAJETÓRIA

Por : Aluizio Rezende

Apesar de todo o assistencialismo colocado ao seu alcance, uma população que continua pobre, faminta, iletrada, sem acesso à saúde, educação, transporte de qualidade e níveis mínimos de segurança, em razão disso totalmente despolitizada, é essa a população que deve ser responsável pela eleição, em Minas Gerais, de Dilma Rousseff para o Senado, considerando-se o que diz a pesquisa.

 

Ao governo Dilma deveu-se uma política econômica inteiramente desastrosa para o país. As negociações envolvendo a Usina de Pasadena – que tiveram a sua participação, mas não ocorreram no seu governo, e sim no de Lula – representam, de certo modo, apenas um pequeno aspecto. Negociações referidas logo aos EUA, de quem somos "clientes" (ou vai ver por isso mesmo) há longos ou intermináveis anos.

Essa Dilma, torturada pela ditadura, está bem longe da que combateu com a sua juventude os anos de chumbo grosso da exceção, favorecida, como sabemos, pela nação beneficiada agora pelas desvantajosas negociações a que antes nos referimos.

A provável eleição de Dilma deve ser creditada, salvo melhor juízo, à deplorável (ou nenhuma) capacidade de uma população fragilizada para a avaliação do que seja uma trajetória política. Aliás, não sejamos injustos com a Dilma, porque na realidade isso é o que todos os políticos fazem: investem maciçamente no desconhecimento e despreparo generalizado da população com que contam para serem eleitos.

 OBS : MANIFESTAÇÃO VINCULADA A MATÉRIA: 

WWW.ABDIC.ORG.BR

DILMA ROUSSEF SENADORA : “UMA MINEIRA QUE NÃO COME PÃO DE QUEIJO...”

Por : Pettersen Filho

Iguaria sem igual no Brasil, o Queijo Minas, da Serra da Canastra e Região Leiteira de Minas Gerais, é elemento essencial à Culinária Mineira, desde os tempos da Colonização e do Império, dono o Estado da maior Bacia Leiteira do País, por isso mesmo, conhecido pelo seu Pão de Queijo, ora exportado ao Mundo como produto tipicamente Mineiro, portanto, Patrimônio e razão de orgulho do Povo, com que todo Cidadão se identifica, gostoso no Café matinal ou no Lanche da tarde, fresquinho e semiderretido, saído da Boca do Forno, como se fosse um Donut Americano ou um Baquete de Pão Francês em Paris... http://www.abdic.org.br/index.php/2037-dilma-roussef-uma-mineira-que-nao-come-pao-de-queijo

 

Rio, 25/09/2018

 

Aluizio Rezende

Escritor, poeta

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.