JUSTIÇA: “QUEM MATOU GERSON CAMATA ?”

Por  Pettersen Filho

Surpreendido ainda ontem, com a morte precoce, se não súbita, não merecida e inconsequente, do Ex-governador do Estado do Espirito Santo, Ex-senador da República, Gerson Camata, Político ainda do tempo em que quem queria se eleger, concedia sacos de cimento, tijolos, ou cesta básica, apenas isso, em tempos de Eleição, não posso assegurar que esse seja o caso, e não o tal famigerado “Bolsa Família”, ou os “10%” de toda obra do Governo Lula, que deixou a Política “Amadora”, como condição do passado e institucionalizou a “Corrupção”, Gerson Camata, afinal, em termos crassos, foi um “Bom Político”, e, nas Regras da época travou um Bom Jogo, contribuiu, afinal, para a Jovem Democracia brasileira, e, não merecia um Fim Trágico desses, ser alvejado como um “Porco”, por um Ex-assessor, num dos melhores Bairros da Cidade de Vitória, onde morei e frequentei, há apenas, poucas quaras da minha casa...

 

... mas, enfim, a vida, e a morte, são assim, completamente anusuais, ou não !?

Bom Político, até onde eu sei, antes de ingressar no Serviço Público do Estado, onde conheci vicissitudes e mazelas, parece-me, pelo que trás a imprensa, Gerson Camata, casado, ainda precoce, com uma das Mulheres mais Lindas do Brasil em sua juventude, Rita Camata, Jovem Deputada Federal, graças ao seu prestígio, protagonista, não sei, se do Filho seu, mas, seguramente, do Estatuto da Criança e do Adolescente, chamado pelos Operadores da Justiça como “ECA”, não sei se por Justiça, a qual deixa Viúva, Gerson Camata, foi, talvez, nesse ato homicida, simplesmente Vítima de suposto “Error In Judicandum”, expressão latina, da Grécia Antiga, que exalta. Fruto de uma suposta Sentença injusta, em que seu Assassino, é bom que se convenha, volto a afirmar, não conheço dos autos, isso o TJES, bem o saberá relatar, ao sentir-se Injustiçado, seu Ex-assessor político, ao ver-se condenado, com R$... valores retidos em sua conta corrente, por acusar o Senador por apropriar-se do seu Salário, Provimento, como a Lava Jato, tão bem asseverou, pura realidade no Brasil, em que, detentores de Mandato Legislativo, ofertam cargos comissionados, junto ao Político (Flávio Bolssonaro que o diga), e, que por oportunismo, ou condescendência política,  dele abrem mão de boa parte do salário, o que representa subdeclararão, ao IR, ou ao Poder Legislativo, pratica comum, ao levarem o caso à Justiça, são menosprezados, por mais que redundante, e reticente, a pratica, parece-me ter sido, ele, o Atirador, Vítima do “Erro Judiciário”, ao entender por condenar o Magistrado a Vítima, e não o Algoz, como tantas vezes ocorre no Brasil, em que, o Juiz/Estado, confunde, Isenção, com Parcialismo, não sei se esse foi o caso..,

Pessoalmente, eu entendo que o Assassino Confesso, e Frio, do Governador, ao excuta-lo, matou a pessoa Errada, que ora, usufrui de “Férias Forenses”, e jamais será alcançado pela verdadeira Justiça (Puxa Saco de Plantão, que pendeu, provalvelmente, o Prato da Balança pro lado errado):  

A Justiça Divina, será ? !

 

ANTUÉRPIO PETTERSEN FILHO, É ADVOGADO MILITANTE E ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”, SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO, NEM DO ADVOGADO.