BOLSONARO EM ISRAEL : “O BRASIL NO MURO DAS LAMENTAÇÕES...”

Por : Pettersen Filho

Criado sob a presidência do brasileiro Oswaldo Aranha na ONU, em 1948, bem no meio de Territórios Árabes, no Caso a Cisjordânia, como parte da Política dos Aliados, EUA, França e Inglaterra, após a Segunda Guerra Mundial, integrada ao Projeto Americano de Global Player, Hegemonia Mundial, apenas a poucos quilômetros dos riquíssimos Poços de Petróleo da Arábia Saudita, Irã e Iraque, o Estado de Israel, apesar dos primórdios bíblicos, tem mais a ver com Geopolítica e Estratégia, do que com a versão Oficial da Terra Prometida entregue aos Judeus depois do Holocausto de Hitler.

 

Terceiro País a ser visitado por Bolsonaro, depois de EUA e Chile, Israel possui o Exército mais bem treinado do Mundo, devido ao constante Estado de Guerra em que vive, tendo passado por pelo menos duas grandes guerras contra os Árabes, desde a sua criação, a Guerra dos Seis Dias,1967, exatamente assim chamada pelo fato de Israel em apenas seis dias derrotar os Exércitos Árabes, no Egito, Síria e Jordânia, anexando novos Territórios, e a Guerra do Yom Kppour, em 1973, igualmente exitosa, determinando a atual supremacia de Israel, como Potência Militar no Oriente Médio, fartamente municiada pelos EUA, e agora, aparentemente, pelo Brasil, de Bolsonaro, que pretende meter a mão nessa cumbuca.

 

Supremacia que deve recuar com a nova situação de estabilidade na Síria, com o estabelecimento de Tropas Iranianas no País, e desmobilização da Guerrilha Libanesa, apta a ocupar novos fronts, Israel vem sistematicamente atacando Bases Iranianas na Síria, onde possui as Colinas de Golan, estratégicas a defesa do Estado Judeu, mas, já, hostilizadas como nunca antes.

 

Parceria que já se dá em próprio Território brasileiro, Israel já é o fornecedor de Radares e Misseis, fabricados no Brasil por empresas Israelenses, como no caso da atualização dos caças AMX da FAB, o que, por outro lado, nos coloca na Linha de Tiro dos Países Árabes, e nos torna responsáveis pelo Holocausto praticado por Israel na Palestina...

 

Particularmente, penso que Bolsonaro, ainda ontem visto junto com Netanyahu no Muro das Lamentações, com essa história de mudar a Embaixada brasileira para Jerusalém Ocupado, e reconhecer, muito possivelmente, seguindo sempre os EUA, Golan como Território Judeu, está dando um tiro no próprio Pé.

 

ANTUÉRPIO PETTERSEN FILHO, MEMBRO DA IWA – INTERNATIONAL WRITERS AND ARTISTS ASSOCIATION É ADVOGADO MILITANTE E ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”,  SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO, NEM DO ADVOGADO.