CANTAREIRA ; FALTA DÀGUA AMEAÇA FUTURO POLÍTICO DE ALCKIMIN...

Por : Pettersen Filho

 

Romanticamente chamada de “Maior Capital Nordestina do Brasil”, São Paulo, concomitantemente, a Maior Metrópole brasileira, e também uma das maiores do Mundo, justamente pelo seu poderio econômico e político, fazendo com que varias outras regiões do Brasil orbitem em seu entorno, possui, sem sombras de dúvidas, um dos maiores contingentes de População Nordestina do País, capaz de ofuscar, e sobrepor, grandes metrópoles do próprio Nordeste, Salvador, Recife e Fortaleza.

 

Isso não é duvida para ninguém, e todos já sabiam, tamanha a Legião de Mão de Obra imigrante que atraiu a Capital Paulista, desde os anos 50, fenômeno que já não é mais tão virtuoso, com o crescimento do Interior do próprio Estado de São Paulo, e recente autosuficiência econômica do próprio Nordeste Brasileiro, permanentemente assistido por programas de combate à seca, incentivo fiscal, o favorecimento da Agricultura Familiar e a incipiente industrialização Nordestina, em que cidades como Salvador, Recife e Fortaleza já são capazes de absolver a própria Mao de Obra regional.

Novidade mesmo é a iminente “Falta Dàgua” na Capital Paulista, em que, anos e anos de descaso, de políticas públicas de gestão dos recursos hídricos, equivocadas, levaram a mais completa exaustão o Sistema de Abastecimento local, predominantemente, dos Mananciais da Serra do Cantareira, pouco preservados e urbanizados, que ameaçam, de fato e de direito, transformar São Paulo, em pleno Sudeste brasileiro, na “Capital Nacional da Seca”, deixando sem beber seca de dez milhões de bocas...

Convocada às pressas a SABESP – Empresa  de Abastecimento do Estado, logo que os níveis dos reservatórios desceram à pouco mais de 5% do seu montante habitual, em poucos dias, apenas, a Empresa surgiu com uma solução pouco usual, se não, temerária, pelo menos, pouco ortodoxa, de dragar do “Fundo Morto” do Reservatório, também chamado pelos que gostam de maquiar a verdade dos fatos, no caso do Cantareira, de “Reserva Técnica”, em que poderosas bombas, instaladas de supetão, ao custo de quase 80 milhões em obras emergenciais, passam a captar água, normalmente tida como imprestável, a fim de suplementar o Sistema, evitando o vexame político para o Governador Geraldo Alckimim, e, por conseqüência, do próprio PSDB, a que está condicionada a Plataforma de Poder da candidatura Presidencial de Aécio Neves, no caso, de se implantar um necessário Racionamento.

Desastre controlado, se não, adiado, a súbita Seca de São Paulo, como é peculiar no Brasil, em que a Versão Oficial consegue transformar um Drama em acontecimento festivo, dizem, terá espaço até para foguetório no Palanque da inauguração das tais bombas.

Isso, sim, é realmente incrível, não acham ?

Já imaginaram, encontrarmos, por ai, em plena Av. Paulista a “Vaca Mimosa” puxada num  Jerico, repleto de Bons Cidadãos, do Nobre Bairro do Morumbi, apoiadores incondicionais da “Campanha Aécio”, entoando a velha Canção Nordestina:

“Por falta dàgua, perdi meu gado, morreu de sede, meu alazão ... ???

Haja Asa Branca !

 

Crônica postada originalmente em http://www.paralerepensar.com.br/paralerepensar/publicacoes.php?opc=editar&id_publicacao=33199

 

ANTUÉRPIO PETTERSEN FILHO, MEMBRO DA IWA – INTERNATIONAL WRITERS AND ARTISTS ASSOCIATION É ADVOGADO MILITANTE E ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”, SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO, NEM DO ADVOGADO.