FERGUNSON “O MISSISSIPI EM CHAMAS...”

  • Imprimir

Pettersen Filho

Nome de épico da Cinematografia Americana, retratando com certa fidelidade a Questão Racial no Estado Americano, “Mississipi em Chamas”, retratou, nos anos Sessenta, o Racismo nos Estados Unidos, e a atuação da KKK – Klu Klux Klan, Encapuçados Justicialistas Brancos que executavam Sentenças de Morte, proclamadas por eles mesmos, na Cruz Incendiada, Símbolo da Entidade, EUA afora, naqueles, para nós, até então, derrocados “Anos Negros”, até que o Reverendo Martin Luther King pronunciasse o seu Famoso Discurso do “Sonho de que todos os Homens sejam iguais”, em Praça Pública, na Marcha pelos Direitos Civís, há cerca de Meio Século atrás, novamente, o Estado do Mississipi Arde em Chamas, com o Assassinato de um Jovem Negro, essa semana, por um Policial Branco, na Cidade de Fergunson, ora em “Toque de Recolher”, presente a Guarda Nacional.

 

 

Questão, de fato, nunca completamente sepultada nos EUA, o Racismo, que deixou de ter no País o caráter de Segregamento, dos Anos Sessenta, à exemplo do Apartheid Racial antes praticado na África do Sul Racista, antes de Mandela, na América, “Terra da Liberdade”, “País das Oportunidades”, “Meca do Capitalismo”, ora subjugada pela Crise Financeira Mundial, e pelo progressivo achatamento da Classe Média Americana, no entanto, apenas deixou de frequentar a 5ª Avenida, em Nova Iorque, mas, mudou-se para o Subúrbio, presente no “Padrão” das Moradias, entre Ricos e Pobres Americanos, e na diferença entre os Maiores, e os Menores Salários nos EUA, delineando numa “Linha” não muito clara, entre Pobres e Ricos, na verdade, o único e total Racismo, ora prevalente nos EUA.

 

Colocados, na verdade, em “Pé de Igualdade”, nos EUA, pelos que tem origem Anglo-saxônica, ou Europeia, Judeus e irlandeses, vindos do Velho Continente, considerados, meio que assim, “Americanos de Boa Estirpe”, de menos os Negros e Hispânicos, uma espécie não assumida se Subnacionalidade, os EUA, na pratica, a não ser nos Filmes de Hollywood, e no Discurso que proferem para o Mundo, nunca deixaram, de fato, ou de direito, de serem uma Sociedade profundamente Racista, majoritariamente ungidos pelos dogmas da Igreja Católica Apostólica Romana Ocidental, exclusos dela os que tenham origem no Islã e Mulçumanismo, embora, nas entrelinhas do “Tecido Social”, prestem-se os Negros e Latinos para comporem o Grosso das Tropas de Intervenção Estadunidenses, no Iraque ou Afeganistão, ou, quem sabe, para “enterrarem” algumas Cestas à mais, na Superliga de Basquete, ou de Futebol Americano, à exemplo do que fez o Negro Jesse Owens, nas Olimpíadas de Munique, na Alemanha, diante do todo Poderoso, Adolf Hitler, apto a prestar-se a “Propaganda Ideológica”, diante das Tropas Arianas da Alemanha Nazista, enquanto, no seio dos próprios Estados Unidos, e nos Pelotões de Negros, que lutaram na Segunda Guerra contra o Fascismo, representem 9 de cada 10 Pobres no País.

 

Demonstrando, outrossim, o quanto o “Tema” é vívido nos EUA, enquanto a KKK, hoje mais dissimulada, arrecada Fundos na Internet, para custear a Defesa do Policial Branco, a População de Fergunson, majoritariamente Negra, vai às Ruas, clamando por Justiça:

 

Que Justiça, não se sabe:

 

Se Branca, ou Negra !???

 

ANTUÉRPIO PETTERSEN FILHO, MEMBRO DA IWA – INTERNATIONAL WRITERS AND ARTISTS ASSOCIATION É ADVOGADO MILITANTE E ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, ALÉM DE SÓCIO CORRESPONDENTE DO INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLOGIAS, POLÍTICAS E SOCIAIS DOM VASCO FERNANDES COUTINHO, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”, SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO, NEM DO ADVOGADO

 

DEFESA DO CONSUMIDOR – CIDADANIA - PEQUENAS CAUSAS CIVEIS ???

  

“DIVULGUE NOSSO TRABALHO PARA QUE NÓS TAMBÉM DIVULGUEMOS VOCÊ”

REPASSE ESSE E-MAIL A UM AMIGO !