SEMIPRESOS: “GENUINO, DIRCEU & DELÚBIO...”


Por : Pettersen Filho


Aparentemente, meio que “Jogando para a Plateia”, apenas para cumprir a “Tabela”, diriam os apreciadores do Campeonato Brasileiro de Futebol encontram-se “Presos”, quer dizer, “Semi-Presos”, já que beneficiados por Prisão Semi-Aberta, daquelas que o Sujeito, após ser condenado por Crime Privativo de Liberdade, ao invés de ficar encarcerado, diz nosso Direito Processual Penal, cumpre pena Semi-Aberta, em que apenas dorme no “Presidio”, e passa os Fins de Semana, a pretexto de Trabalhar, José Genuíno, Delúbio Soares e José Dirceu.

 

Antigos dirigentes do “Alto Clero” Petista, além de outras figuras menos expressivas da Base Política no Congresso, do Primeiro Mandato do Ex-presidente Lula, em 2006, segundo Mandado de Prisão, expedido por arte e obra, pessoalíssima do Presidente do STF – Supremo Tribunal Federal, ao fim de um processo que durou quase uma década, dando final vazão a “Opinião Pública”. 


Expedidos na frigidez do Gabinete do Presidente Joaquim Barbosa, quem assumiu, por conta própria, e risco pessoal Monocrático, sem sequer consultar os “Colegas Ministros”, como o Cargo lhe faculta, como bem o fizera ao longo do seu recente Mandato de Presidente do STF, as cerca de uma dezena de Prisões, em pleno Fim de Semana, sequer eram, na verdade, esperadas, já que ainda fluem manobras pirotécnicas jurídicas dos Réus na Corte Suprema, tendentes a levar a procrastinação infinita das relatadas prisões, em expedientes tais como, os Embargos Infringentes e Declaratórios, Embargos dos Embargos, e Novos Embargos, desses outros Embargos, numa verdadeira Espiral Sem Fim, mesmo que incabíveis, até que assumisse, enfim, o Presidente, a responsabilidade efetiva das Prisões. 

Encaminhados inicialmente para a Papuda, Presidio de Brasilia/DF, logo surgiram as primeiras impetrações, “Amigos da Ordem, Ministros de Estado, e outros”, ainda no Fim de Semana, para livrar os Réus do Regime Fechado, logo que presos. 

Nesse sentido, o Juiz da Vara de Execução Penal, já na Segunda Feira, numa diligência jamais percebida quanto aos presos comuns, em que tais pedidos não podem ser impetrados no Fim de Semana, ou, pelo menos, não são avaliados, tendo que, primeiro, subir ao Parecer do Ministério Público, até a efetiva Decisão do Magistrado, que pode levar semanas, no caso de Delúbio & Cia, na própria Segunda Feira foi despachado, e concedido, demonstrando, mais uma vez, que tais Presos não são Comuns... 

Tratados bem mais do que Ladrões de Galinha, Pretos, Pobres ou Prostitutas, tiveram a “Sorte” de conseguirem o Regime Semi-Aberto, independente de Comprovação de Emprego. Atividade Laboral, Declarações de Boa Conduta, Abaixo-Assinados, tão comuns nesses casos, como o que se exige aos demais Brasileiros, de menos os que cometem, invariavelmente, Crimes do Colarinho Branco, e que possuam “Padrinhos Presidentes”. 

Presos, de menos Henrique Pizzolato, quem fugiu para a Itália, onde receberá, provavelmente, natural abrigo, por possuir “Cidadania Italiana”, uma vez completamente formado o “Picadeiro”, Estendida a Tenda, temos, desde já, o Circo Pronto, para um longo, e temerário, Processo de Extradição, em que a Itália, provavelmente, dará o Troco ao Brasil, por ter abrigado Cesare Battiste. 

Sujeito, contudo, a Prisão, ou Exílio, muito mais penoso que Dirceu, Delúbio e Genuino, que, a cada dia nessa Modalidade de Pena, Semi-Aberta, estão mais próximos da Reelegibilidade, e da “Ressocialização”, enfim, da Reecorrupção, ao contrário de Pizzolato, fadado a ser um eterno foragido, o que redime-lhes os possíveis, e impossíveis, Antecedentes, parece-nos, ademais, que, nessa altura do campeonato, somente Pizzolato não entendeu o quão Cômica é a atual situação dos seus Colegas Mensaleiros, ora erigidos a Condição de Semi-Deuses, muito embora estejam, Semi-Presos...

E isso, o Tempo, e a Memória Moral Curta Brasileira, se assegurarão de demonstrar.

Que o digam Collor, Sarney, Barbalho, Renan, Maluf e o “Italiano” Cacciola... 


Obs: Crônica postada originalmente em www.paralerepensar.com.br 


ANTUÉRPIO PETTERSEN FILHO, MEMBRO DA IWA – INTERNATIONAL WRITERS AND ARTISTS ASSOCIATION É ADVOGADO MILITANTE E ASSESSOR JURÍDICO DA ABDIC – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE DEFESA DO INDIVÍDUO E DA CIDADANIA, ALÉM DE SÓCIO CORRESPONDENTE DO INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLOGIAS, POLÍTICAS E SOCIAIS DOM VASCO FERNANDES COUTINHO, QUE ORA ESCREVE NA QUALIDADE DE EDITOR DO PERIÓDICO ELETRÔNICO “ JORNAL GRITO CIDADÃO”, SENDO A ATUAL CRÔNICA SUA MERA OPINIÃO PESSOAL, NÃO SIGNIFICANDO NECESSARIAMENTE A POSIÇÃO DA ASSOCIAÇÃO, NEM DO ADVOGADO.